Autora

Sou Simone Paulino, nasci no dia 22 de maio de 1986, sou geminiana e bastante curiosa, de acordo com meu signo solar. Acho incrível ter nascido no dia do aniversário de Sir Conan Doyle (o escritor de Sherlock Holmes!).

Sou professora de língua portuguesa, especialista em Literatura infantil e juvenil, mestra em Teoria da literatura e literatura comparada e doutora em Humanidades, Culturas e Artes. Pesquiso contos de fadas, feminino e Marina Colasanti.
Claro, eu sou uma leitora assídua, amante das Crônicas de Gelo e Fogo e distopias. Infelizmente falta tempo para ler tudo o que desejo.
Adoro séries e acompanho mais de vinte, entre as quais elejo como favoritas Game of Thrones, SherlockThe Walking Dead e Doctor Who.
Sou autora de três livros: Poemas colhidos, Nos fios das narradoras e O Sonho de Ulisses e dez contos fantásticos. Atualmente estou envolvida na escrita da minha primeira obra de ficção científica que, no momento, pode ser lida gratuitamente na plataforma Wattpad.

 

Livros publicados

capa-poemas colhidos 

Tempo, contradição, amores, paixões e desilusões: tudo cabe em versos. Poemas Colhidos é uma obra essencialmente lírica que trata com força e gentiliza do enorme universo gerado pelo eu-lírico.

 

 

 

 

 

 

 

“Na alma de toda criança há contos de fadas. Mesmo quando a infância nos abandona, eles não deixam de existir, ficam latentes em cada adulto, aguardando o momento em que algum narrador desencadeie o “Era uma vez” que nos permitirá caminhar, outra vez, pelas veredas do maravilhoso.” Este livro busca tratar dos contos de fadas de Angela Carter e Marina Colasanti em uma perspectiva comparativista, tendo como “pano de fundo” a questão do narrador (contador de histórias) discutida por Walter Benjamin. Buscando os pontos onde os fios da criação ficcional de Carter e Colasanti se entrelaçam, damos foco especial nas representações femininas das autoras em seus contos de fadas.

 

 

 

 

 
O sonho de Ulisses é a novela que abre esta obra, na busca quixotesca do jovem Ulisses pelas sereias. Nesta obra conhecemos ainda animais estranhos, pinturas que hipnotizam, um futuro distópico, um fotografo capaz de voltar no tempo, uma personagem que pode mudar sua própria história, um homem que descobre que embaixo de sua cama vive uma outra versão de si e um presente que pode ser a maior dádiva ou a maior maldição. Todos os contos aqui têm como elemento norteador os sonhos. Eu sonhei com este livro, agora te convido a sonhar junto comigo.

 

 

 

 

Tese de doutorado

Tese de doutoramento defendida no dia 24 de abril de 2018 no programa de pós-graduação em Humanidades, culturas e artes da Universidade do Grande Rio.

Resumo

O presente trabalho de cunho, principalmente bibliográfico, apresenta um estudo de base comparativista que, através da costura entre os contos de fadas da tradição e os da autora ítalo brasileira, Marina Colasanti, busca denunciar os papéis de gênero impressos nesse tipo de narrativa e a necessidade de um revisionismo do cânone literário. Desta forma, a presente tese objetiva abordar como, tomando para si o mote dos contos de fadas da tradição, a autora Marina Colasanti desconstrói a violência simbólica do discurso do patriarcado presente nas narrativas tradicionais. Esta tese ressalta a desconstrução das protagonistas dos contos de fadas na obra colasantiana e tem como pressupostos teóricos Adichie (2017), Banditer (1985), Beauvoir (2009), Bourdieu (2014), Butler (2003), Coelho (1991, 2000, 2008), Colasanti (2004), Darnton (1986), Fávero (2010), Franz (1990), Martins (2006), Mendonça (2000), Michelli (2008, 2010), Oliveira (2014), Oliveira (2016), Silva (1994, 2009) , Tatar (2013), Todorov (2008), Vladimir Propp (2006), Warner (1999), Zipes (2006), Zolin (2007, 2009). Outrossim, este trabalho apresenta entrevistas, realizadas com voluntárias, objetivando apontar para a relação entre as mulheres e os contos de fadas. Norteando-se pela teoria feminista anglo-saxônica, a tese traça um paralelo entre as representações femininas nesses contos e questiona o discurso, precipuamente, patriarcal nas narrativas da tradição. Destacamos ainda que, a presente tese, busca questionar a naturalização das condutas morais de gênero expressas nos contos de fadas e a violência simbólica que se manifesta na sociedade por meio dos “ensinamentos” dessas narrativas.

Palavras-chaves: contos de fadas, Colasanti, gênero, feminismo, patriarcado, violência simbólica

Clique aqui para ler na íntegra