in Série e Filmes

Atypical

at
atypical

Atypical foi uma das séries que estreou no último mês no Netflix. Foi anunciada como “a série do Netflix que trata do autismo”.

Admito que comecei a assistir a ela sem grandes pretensões, mas fui agarrada logo no primeiro episódio. Não só pelo tema, que é super interessante, mas pelo formato da série: com capítulos de cerca de meia hora e que terminam sempre com um gancho para o próximo.

A série é bem curtinha (8 episódios apenas) e tudo no formato dela diz que foi feita para uma maratona (eu assisti em um dia!).

Sinopse
Sam ( Keir Gilchrist) é um jovem autista de 18 anos que está em busca de sua própria independência. Nesta jornada, repleta de desafios, mas que rende algumas risadas, ele e sua família aprendem a lidar com as dificuldades da vida e descobrem que o significado de “ser um pessoa normal” não é tão óbvio assim.

A série tem sim uma pegada de drama. É impossível não se emocionar com a dinâmica familiar diante do espectro autista de Sam. Apesar de suscitar reflexões tão sérias, a série trata do tema de forma leve e com cenas que fazem perder o fôlego de tanto rir.

Os personagens são extremamente cativantes. Mesmo a trama central sendo a tentativa de Sam de ter um relacionamento amoroso, as subtramas recebem um tratamento muito bom. Não são ofuscadas pela trama principal.

As pequenas histórias, como a da irmã que quer conseguir uma bolsa de atletismo, o relacionamento dos pais, a vida pessoal da terapeuta, são tocadas e modificadas, de alguma forma, pela história de Sam, mas não se limitam a isso. Destaco aqui a trama da mãe de Sam. Muitas vezes ela se mostra mais dependente do filho do que ele dela.

Como já disse anteriormente, a série tem muitas cenas que nos fazem rir. Principalmente cenas que envolvem Sam e a sua incapacidade de incompreender o sentido figurado (o que é característico do espectro). Entretanto, o verdadeiro alívio cômico fica por conta de Zahid, o melhor amigo de Sam, interpretado por Nick Dodani.

Algo que merece destaque nesta série é a narrativa em primeira pessoa. Isso dá o devido relevo ao modo de pensar de Sam.

Atypical nos coloca dentro da cabeça de Sam muitas vezes e levanta os problemas e questionamentos que cercam a vida daqueles que convivem com o espectro autista.

A série terminou com várias pontas soltas. Prontinho para uma segunda temporada!

Dados da série

Título: Atypical

Disponível: Netflix

Estilo: Comédia dramática

 

Trailer de Atypical

E você? Já assistiu? Deixe sua opinião nos comentários!

Etiquetas:, ,
Share:

Deixe seu comentário

2 Comments

  1. Jade Amorim . Site

    Simone, eu tenho vários amigos “seriadores” que conheci através do Banco de Séries que me falaram super bem de Atypical, e ele está na minha lista de coisas que pretendo assistir.
    Adoro esses novos temas passaram a ser abordados e de forma consciente. E essa parece ser uma delas. Espero ter tempo e, assim que colocar minhas séries em dia (Banco de Séries está super me cobrando disso hahahaha) eu pretendo checar essa belezinha.

    Beijos!

    11 . Set . 2017
    • Simone . Site

      Vale muito a pena colocar essa na sua lista. É uma série curta e excelente. Dá para matar em um final de semana. 😉

      11 . Set . 2017

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *